Dança
04
Novembro 2017
Terça-feira: tudo o que é sólido dissolve-se no ar. de Cláudia Dias
Terça-feira: tudo o que é sólido dissolve-se no ar. de Cláudia Dias
Sábado, 04 de Novembro de 2017 | 21h30
Local: Teatro Virgínia
Público alvo: M 12 anos
Duração: 60 min.

Quando era criança assistia fascinada, como muitas pessoas da minha geração, aos programas televisivos do Vasco Granja e ficava deliciada com aqueles desenhos animados que criavam mundos a partir de plasticina, cartolina ou de uma só linha. Cerca de trinta e tal anos depois convoco esse universo, nomeadamente o trabalho de Osvaldo Cavandoli, para esta segunda criação do projeto Sete Anos Sete Peças.

Tendo em conta que uma linha reta é a menor linha que se pode traçar entre dois pontos, este é o ponto de partida escolhido por mim e pelo Luca Bellezze para a criação de uma espécie de cartoon ao vivo urdido a partir de um fio. Numa lógica de frame a frame vai sendo construída uma narrativa visual e sonora que retrata, de forma sintetizada, aspetos particulares da realidade contemporânea.

Num tempo em que as linhas divisórias, as fronteiras, as barreiras, as linhas da frente e de mira dos conflitos bélicos, as fileiras e as linhas de identificação  do drama dos refugiados, as linhas de respeito dos limites marítimos das nações, as linhas duras das fações radicais de organizações políticas e religiosas estão na ordem do dia, pretendemos trabalhar (n)uma linha unificadora, capaz de juntar o que se encontra separado.
 

Conceito e direção artística Cláudia Dias
Artista convidado Luca Bellezze
Intérpretes Cláudia Dias e Luca Bellezze
Texto Cláudia Dias
Cenografia e desenho de luz Thomas Walgrave
Animação Bruno Canas
Direção técnica Nuno Borda De Água
Olhar Crítico – Sete Anos Sete Peças Jorge Louraço Figueira
Produção Alkantara
Coprodução Maria Matos Teatro Municipal; Teatro Municipal do Porto
O projeto SETE ANOS SETE PEÇAS é apoiado pela Câmara Municipal de Almada
Residências Artísticas: Teatro Municipal do Porto/Campo Alegre;
O Espaço do Tempo; Centro Cultural Juvenil de Santo Amaro – Casa Amarela



Bio
Cláudia Dias, 1972. Coreógrafa, performer e professora. Criou, entre outras, as peças Visita Guiada e Vontade de ter Vontade. Atualmente desenvolve o projeto Sete Anos Sete Peças, no âmbito do qual estreou “Segunda-Feira: Atenção à Direita!” e “Terça-feira: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar”. O seu trabalho tem sido acolhido por várias estruturas, teatros e festivais nacionais e internacionais.

7.50€ (descontos aplicáveis)
stqqssd
 
 
 
 
1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31
Desenvolvido por